Menopausa e a flacidez. Se me perguntarem qual foi o pior sintoma da menopausa, no meu caso, foi a flacidez. 80% das mulheres podem ter por muitos e longos anos perturbações do sono, atrofia vaginal, infecções urinárias, perda de massa óssea, entre outros sintomas. No meu caso, o que mais me incomodou foi e é a flacidez.  Ela, a flacidez, para muitas mulheres não é a pior consequência, mas sem dúvida, incomoda muito.

menopausa-e-flacidez

Quem faz reposição hormonal vê esta fase adiada. Eu não fiz por aconselhamento médico. E desde que vi a queda gradativa de meus hormônios vi minha pele do corpo (do rosto é mais fácil tratar devido às visitas a dermatologista) ficar mais ressecada. Com o ressecamento, é óbvio que houve perda de fibras elásticas e de colágeno e isso acarretou o aumento da flacidez porque houve a perda da elasticidade e a perda do tônus muscular. Como resultado a pele ficou mais fina, frágil e flácida e com mais propensão à rugas.

Sem contar que fui  fumante ao logo de muito anos.  E este mau hábito contribuiu muito para acelerar o envelhecimento de minha pele. Juntamente com o sol que eu pegava em excesso. Quem não se bronzeou com óleo Johnson e semente de urucum na década de 70 e 80? Na nossa adolescência de mulheres 50+ e mulheres 60 e 70 +, era moda fumar. As mocinhas da novela das 8 (naquela época as novelas começavam depois do jornal e geralmente eram as 20:30) todas fumavam. E para ser moderna  e fazer parte da turma åΩa gente tinha que fumar também. Mal sabia eu que o maldito cigarro iria me causar mais tarde um monte de rugas, mancha facial e a maldita da flacidez.

menopausa

Só depois de muitos anos é que fui ter consciência de que o cigarro e o sol (graças à ciência e a consciência) eram inimigos declarados de minha saúde. Mas aí o estrago já estava feito. Então fui correr atrás do prejuízo buscando um regime alimentar rico em vitamina C com antioxidante para ajudar na sintetização do colágeno. Vitamina A para ajudar na regeneração do colágeno e vitamina E para combater os radicais livres, enfim…a gente quase que aprendeu a ser nutricionista de si mesma para consertar tanto erro feito lá atrás.

Além da flacidez do corpo, à medida que fui envelhecendo me dei conta da flacidez do contorno mandibular.  A flacidez do contorno mandibular é aquela flacidez que deixa as bochechas caídas e a gente fica com cara de bochecha de cachorro. Esta é pior. E pra não ficar assim fui atrás de um tratamento preventivo. Deixando de lado alternativas mais invasivas, existem vários tratamentos que cumprem bem a missão. Fiz o “sculptra”.  O “sculptra” é o ácido poli-L-lláctico  que quando injetado na pele estimula a produção do colágeno ajudando a diminuir a flacidez. É recomendado 3 sessões de tratamento e o resultado é visto após 30 dias depois da primeira sessão. O cólageno que forma dura aproximadamente 2 anos.

Já fiz o “sculptra” umas 5 vezes porque adorei o resultado, principalmente porque tenho o rosto muito fino. Então preciso fortalecer esta musculatura e se deixar a flacidez tomar conta aí já viu né, vou ficar encovada. São paliativos que encontro para driblaz a flacidez.

A menopausa acelera o envelhecimento da pele e exige vários cuidados. Como ela modifica o funcionamento do nosso corpo, a primeira coisa que mais me incomodou foi a flacidez. Sempre fui uma mulher vaidosa. Sou magra, sempre fiz exercício e gosto de praia. Talvez se eu fosse uma mulher que não gostasse de sol e que não gostasse de verão,  a flacidez não me incomodaria tanto. Mas sou honesta e abro o jogo aqui com vocês. Nesta fase da menopausa, a flacidez foi o meu pior sintoma. Os outros eu tirei de letra. E  você como lidou  ou lida com os sintomas deixados por sua  menopausa?

Grande beijo!

Você também pode gostar:

2 comentários

Comentário

Nao estou lidando nada bem com isso. Nao consigo aceitar tudo que esta acontecsndo nessa fase.

Comentário

Oi Denise, a maioria das mulheres têm dificuldade em encarar esta fase e aceitas as modificações que ocorrem. Tanto as físicas quanto as psicológicas. É importante ter um grupo de amigas em que voc6e possa conversar e trocar ideias. Às vezes, o que aflige muito uma, não aflige outra e é uma ajuda importante. Um grande beijo!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

Comente pelo Facebook